O ponto de venda (PDV) é um local de extrema importância para um negócio. É por lá que as experiências dos usuários se dão, principalmente, para decidir uma compra. Por esse motivo, construir um PDV de qualidade é fundamental para atrair e conquistar o público-alvo e, para isso, o design é essencial.

Por ser resultado de diversas decisões, este espaço requer elementos muito bem pensados, inclusive na escolha das cores. Aliás, este tópico é determinante, afinal, as cores fazem muito mais do que apenas embelezar o ambiente. Escolher os tons corretos se torna um poderoso aliado de marketing quando o assunto é vender no PDV.

Assim, a postagem de hoje vai abordar a psicologia das cores, sua influência nos clientes e seu papel nas conversões no ponto de venda.

A importância do design no PDV

Entender a importância do design como um todo para o sucesso de vendas é fundamental. Nós, seres humanos, somos guiados por nossos cinco sentidos e a visão assume a dianteira quando se trata de perceber o universo ao nosso redor. Somos naturalmente atraídos por aquilo que nossos olhos captam e que nosso cérebro reconhece como agradável.

Na composição de um ponto de venda, um dos grandes trunfos está exatamente em construir algo que cative o público, especialmente dentro de um centro comercial, onde a concorrência pela atenção dos consumidores costuma ser acirrada.

Para entender como isso funciona na prática, basta inverter a posição do olhar sobre o tema. Ao invés de se colocar como um tomador de decisões desse ambiente ao sair às compras, que tal observar suas percepções como cliente? Perceba exatamente o que te atrai e o que te repele, além de identificar como muitas vezes compramos um produto em uma loja pela experiência vivida naquele espaço.

Entendendo o olhar do cliente, fica mais fácil utilizar o design como uma ferramenta que coloque o consumidor em primeiro lugar. Dessa forma, é possível não apenas aumentar as vendas, mas converter com mais qualidade, fidelizando uma clientela ávida por repetir experiências positivas de compra.

A psicologia das cores

Para poder utilizar com propriedade tudo que as cores podem oferecer, é preciso entender como a percepção delas afeta o relacionamento do cliente com a marca dentro do PDV.

É importante apontar que não existe um estudo que aborde a influência que cada cor tem sobre todos os indivíduos. Isso acontece porque a percepção visual é interpretada individualmente, passando pelo seu histórico, seu ambiente, sua cultura. O que, de fato, existe é uma série de estudos que classificam as cores dentro das escalas cromáticas de forma geral.

Um exemplo? Vermelho e laranja são tidos como cores quentes, já o azul e o roxo seriam o oposto: cores frias. Mas o que isso costuma significar? Cores quentes aparecem relacionadas à emoção, ao dinamismo, à aproximação. Já as frias se relacionam com a racionalidade, com um distanciamento, com a frieza. Pela sua ampla utilização em universos do design, incluindo moda e artes plásticas, essa interpretação acaba sendo amplamente aceita.

Então, a força da psicologia das cores para o PDV está na composição de um universo que reflita o perfil do seu público-alvo, ajudando esse cliente em potencial a perceber que sua marca oferece as melhores soluções para suas necessidades.

A influência das cores nas vendas no PDV

Se as cores têm o poder de concretizar o universo que atraia e conquiste o seu público, fica fácil perceber o tamanho da influência da composição cromática para as vendas no PDV. Se temos um espaço de merchandising voltado para crianças, fica fácil imaginar o uso de cores primárias para atrair esses pequenos olhares. Afinal, a mensagem é fortalecida graças à capacidade da criança de interpretar cada cor.

Outro exemplo? Ao pensar em um lugar ideal para se ter um jantar romântico, o comum é imaginar um ambiente mais escuro, com poucas cores e tonalidades mais neutras, certo? Dificilmente, a referência visual imaginada contaria com uma quantidade grande de tons e, provavelmente, não traria cores muito fortes.

Esta lógica deve ser aplicada na hora de usar as cores no PDV. Temos a oportunidade de (re)criar universos que transportem seu cliente para um lugar ou algum momento onde ele gostaria de estar. Isso tudo através do olhar.

A construção de um ambiente a partir das cores

Então, para que o uso da escala cromática seja eficaz, é necessário que a equipe de marketing responda algumas perguntas focada em três fatores básicos para a composição:

  • Marca: qual o histórico da marca? Qual o seu posicionamento atual? Onde o material em questão será inserido?
  • Objetivo: o que queremos atingir com esse PDV? Trata-se de um merchandising sazonal? Ou é um display fixo?
  • Público-alvo: quem são os clientes? Quais personas quero convocar? Quais são seus hábitos?

A partir dessa tríade, é possível tomar as decisões mais corretas no que diz respeito à escolha das cores para o material do PDV.

As pesquisas são essenciais

Segundo pesquisa divulgada pela Kissmetrics, a maioria das deliberações no momento da compra é baseada nas cores dos produtos. Isso não quer dizer que as pessoas se baseiem somente neste aspecto, mas quer dizer que as vendas no PDV recebem influência direta das cores. Tanto é que o uso das cores ajuda a memorizar mais facilmente os anúncios de uma determinada marca, isto é, são elementos com maior pregnância visual.

Por isso, é importante fazer uma pesquisa profunda na hora de escolher a composição cromática para cada material dentro do PDV. Essa utilização, quando feita corretamente, pode representar a diferença entre ser atraente ou ser ignorado nos pontos de venda.

E, para ter certeza de que o uso das cores será conforme o planejado, com uma impressão de qualidade, não deixe de entrar em contato com a Petink. Conheça as soluções oferecidas para o PDV, incluindo os Faster Displays, um sistema patenteado que permite muitas adaptações às necessidades de cada projeto.

Então, o que você achou da postagem de hoje do blog? Se ainda tiver ficado alguma dúvida, deixe seus comentários por aqui!